terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Procópio Ferreira, escola bamba

por Ivan Kasahara - publicado em 17/01/2007

Pequenos bambas do samba podem ser encontrados no Ciep Procópio Ferreira, em Del Castilho (3ª CRE), sob o comando da professora Cláudia Nunes. Desde 2002, quando o projeto Escola de Bamba, da Secretaria Municipal de Educação (SME), permitiu que todas as escolas da rede fizessem parte da organização e do desfile da escola de samba Corações Unidos do Ciep, formada exclusivamente por alunos, os pequenos estudantes do Procópio Ferreira formam uma ala e participam do concurso do samba-enredo a ser cantado na Sapucaí. E, com exceção do primeiro ano, suas músicas sempre foram as escolhidas, sendo que em 2004 um empate com a Escola Municipal Barão Santa Margarida fez com que as duas músicas se fundissem.

A iniciativa de incluir o Ciep no desfile da Corações Unidos e no concurso de sambas-enredo veio da professora Cláudia Nunes que, até 2005, era a responsável pelo apoio às oficinas oferecidas pelas escolas de horário integral, como a Procópio Ferreira, que vai da educação infantil à 4ª série. Em 2005, essas oficinas foram extintas e Cláudia assumiu a classe de progressão sem, no entanto, abandonar as atividades extra-curriculares.

– Eles tinham aulas de flauta doce, teatro, dança, artes. É importante compensar de alguma forma, porque eles sentem muita falta. Tento fazer com que a escola participe de todas as atividades da rede, como o Escola de Bamba, o FECEM, a Mostra de Dança e o Tirando a Droga de Cena (Concurso de Textos Teatrais) – diz a professora, que busca dar oportunidades aos alunos de toda a escola e não somente aos de sua classe de progressão.

No carnaval deste ano, dos 230 alunos da escola, 50 desfilaram na Corações Unidos. Da composição do samba-enredo, segundo Cláudia, costumam participar, todos os anos, cerca de 30 estudantes da classe de progressão e da 3ª e 4ª séries. O processo de composição do samba começa no início do ano letivo, quando a SME define o tema para o carnaval do ano seguinte. Com base nesse tema, as escolas interessadas apresentam sinopses, sugerindo de que maneira o assunto pode ser abordado. Essas sinopses são escritas por alunos, orientados por professores, e o anúncio da escolhida ocorre entre maio e junho. A partir daí, os compositores-mirins põem a mão na massa.

Com a sinopse escolhida em mãos, Cláudia reúne os alunos interessados em uma oficina para a composição do samba. Ela destaca as palavras-chave do enredo, que devem aparecer na música, e estimula uma "chuva de palavras" entre as crianças. Em uma semana, com uma aula por dia, a letra da canção fica pronta. Durante o processo, cinco ou seis alunos costumam se destacar e recebem os créditos de compositores do samba, mas a experiência é válida para todos.

– É um trabalho de cooperação mútua. Mesmo quem não é compositor ajuda os outros dando opiniões. As crianças são de comunidades de baixa renda, a rotina deles é “casa-escola-casa”. Falo para eles que esse é um prêmio de prestígio social. É um motivo de orgulho desfilar na avenida ouvindo um samba criado por eles em sala de aula – destaca, lembrando também que os estudantes que participam uma vez, sempre voltam a participar no ano seguinte.

A letra é musicada também na escola, à base do batuque e do "lá-lá-iá", para só depois ser acompanhada do cavaquinho. O concurso para a escolha do samba-enredo ocorre entre agosto e setembro, quando alguns dos próprios alunos cantam sua música. Para a professora, as músicas de seus alunos são eleitas seguidamente principalmente porque são feitas com dedicação.

– Tentamos fazer igual às escolas de samba de verdade. Buscamos conhecer o tema melhor por meio da pesquisa. Algumas escolas chegam ao concurso com sambas de duas estrofes – compara Cláudia, lembrando, ainda, que nem ela nem qualquer dos estudantes fazem parte do mundo do samba.

Ela diz que a escola aproveita para trabalhar o enredo de forma integral com todos os alunos, abordando a língua portuguesa, a matemática, a coletividade e contextualizando os temas na proposta pedagógica da unidade. A ex-aluna Luana Beatriz Fonseca, 12 anos, foi uma das compositoras do samba apresentado em 2004. Enquanto estudava no Ciep Procópio Ferreira, Luana também venceu uma das edições do Concurso de Textos Teatrais Tirando a Droga de Cena. Hoje cursando a 6ª série em outra escola, pois o Ciep só vai até a 4ª série, ela sente saudade das atividades que eram desenvolvidas.

– São coisas importantes para as pessoas, sinto muita falta. Às vezes, volto aqui (ao Ciep) e vejo eles ensaiando. Quem dera que minha escola atual também tivesse isso – lamenta.

Luana diz que se sentiu homenageada ao desfilar na Marquês de Sapucaí ouvindo o samba que ajudou a compor. Sensação parecida com a de Maicon da Silva, 13 anos, aluno da 3ª série e um dos compositores da música deste ano.

– Achei o desfile muito bom, todo mundo aplaudindo. Quando soube que ganhamos, me senti muito alegre. Essas coisas fazem eu gostar mais da escola – diz o estudante, que antes só conhecia a Sapucaí pela televisão.

Saiba mais sobre o projeto Escola de Bamba – A Escola de Samba Corações Unidos do Ciep existe desde a inauguração da Passarela do Samba, em 1984, e sempre desfilou na sexta-feira de carnaval junto com outras escolas-mirins de agremiações do Rio de Janeiro. No entanto, era composta apenas por alunos do Ciep Avenida dos Desfiles, instalado dentro do Sambódromo. Somente a partir de 2002, graças a uma iniciativa da SME, qualquer escola da rede municipal de ensino passou a poder participar do desfile da Corações Unidos. Sob a orientação de pais e professores, os alunos participam de todo o processo de organização do desfile: construção do enredo e do samba-enredo, confecção de fantasias, escolha de passistas, puxadores, porta-bandeira e mestre-sala etc. Na Passarela, somente as crianças brilham, inclusive na bateria.

Samba-enredo da Corações Unidos do Ciep, composto por alunos do Ciep Procópio Ferreira, apresentado no desfile de 2004

Negro é samba, negro é bamba, é cultura de raiz!!!

Clareou, clareou, clareou
A luz do sol iluminando a terra
Troncos vigorosos de ocá
Animais a despertar
Como é lindo o meu cantar
Hoje, relembrando a história
Que ainda vive na memória
Amor. sou negro, sou feliz
Negro é samba, negro é bamba
É cultura de raiz
Festas, rituais de fé
Riqueza do meu país
E pela imensidão do mar
Colonizadores portugueses
Chegaram em solo africano
Escravizando os negros
Sua cultura e sua fé
Os maracatus, o maculelê
Jongo e capoeira
O azeite de dendê
Zumbi, Mandela
Luta e libertação
E a Corações Unidos
Contra a discriminação


Samba-enredo da Corações Unidos, composto por alunos do Ciep Procópio Ferreira e da Escola Municipal Barão Santa Margarida, apresentado no desfile de 2005

Universo Feminino na História da Humanidade

Eu vou, eu vou, eu vou
Vou viajar nessa avenida
A Corações Unidos te convida
Hoje é festa, a alegria é geral
Idade da pedra
Início da civilização
Agricultura, sua grande invenção
Sociedade matriarcal
Como abelhas em colméias
A rainha é essencial

Zuzu é fashion
Leila é tranformação
Helena Antipoff
É a bandeira da inclusão

Foi em busca da dignidade
Que lutaram de verdade
Pelo direito de votar
E ao desfilar nossas rainhas
Abram alas prá Chiquinha
E seu talento singular
Nas nossas vitórias esportivas
Como Daiane e outras divas
Fazem pulsar a emoção
Fez alguém erguer Taj Mahal
Um monumento colossal
Em homenagem à paixão

Sensível, generosa, sedutora
Poderosa, sensual
Vaidosa e conciliadora,
Unindo corações no carnaval


Samba-enredo da Corações Unidos do Ciep apresentado no desfile de 2006

Planeta Terra e a ação dos homens

Chegou, chegou a hora
A hora é essa de conscientizar
Mãe Natureza precisamos preservar
Como é lindo nosso céu azul e o mar
É uma arte reciclar
O lixo é luxo, quem de nós vai duvidar?

Que bom, que bom seria
Não ter animais em extinção
Dar adeus à poluição
Acabar com a destruição
Do verde que te quero verde
Orgulho do meu país
Vou cantando, vou sonhando
Com um mundo mais feliz

Terra, Terra planeta água
Sem guerra, viveremos em paz
Espera, não esqueça jamais
O futuro é você quem faz

O sol brilha para todos
Todos têm o direito de sonhar, ser cidadão!
Quero um teto pra morar
Viver, sorrir, brincar
E às drogas, vou dizer não
O caminho é a educação
Sou carioca de coração
Daqui não saio, daqui não saio não

É a Corações Unidos desfilando na avenida
Por melhor qualidade de vida
Vamos dar as mãos, ter fé e acreditar
Nunca é tarde pra recomeçar

Ivan Kasahara é repórter do Programa Século XX1.
http://www.multirio.rj.gov.br/sec21/chave_artigo.asp?cod_artigo=1940

domingo, 29 de novembro de 2009

Cientistas do Amanhã

video

Corredor do CIEP

video

Concurso Maluquinhos por Histórias


Vamos lá galera!
O cenário já está pronto.
O evento vai bombar!








A Cigarra e as Formigas (Fábulas).

História com varetas.
Brenda da turma 1501








Respira fundo!

O nervoso vai passar!

Boa sorte!

Thaís da Turma 1401








Jéssica,
representante da Turma 9601
(Realfabetização)
contou uma história de cartaz.









Todos os participantes
tinham torcida organizada.

Essa é a do 2º Ano.

Valeu criançada!






Tia Cristina, nossa Professora Maluquinha, com os jurados.
De blusa amarela a Diretora Adjunta Alina,
o Educador Comunitário Jonas Pereira,
a Professora de Educação Física Fernanda Veloso
e a nossa amiga Bernadete.






Olha os participantes aí gente!
Vocês estão de PARABÉNS!

Não chora não, Tia Cristina!
Nossas crianças são nota 1000.








Vencedores:
1º Lugar: Dominique da Turma 1201
2º Lugar: Higor da Turma 1201

3º Lugar: Thaís da Turma 1401





Como seria sua vida...
sem livros?
sem conhecimento?
sem alunos?
sem escola?

Sala de Leitura



Para entrar nesse espaço mágico um portal terá que se abrir.
Você tem que dizer a senha.

Fale rápido sem pestanejar,
se não...

A Cuca vem lhe pegar.






Era uma vez...
Aqui começa um novo mundo, repleto de sonhos, de vida de conhecimento, de idéias.
Você está preparado para esta viagem iniciar?









Que tal pegar um destes?
Cada um vai lhe apresentar o que há de melhor.

Vamos lá, pegue um!

Não fique com medo.
Viage de carona na cauda de um cometa, brinque de pega-pega com um Menino Maluquinho, voe pelo céu com o Peter Pan, lute e vença o Capitão Gancho, encontre uma Ilha do Tesouro
...







Você quer inventar seu personagem?
Escrever sua própria história?
Aqui no Cantinho da Imaginação temos alguns acessórios que vão lhe ajudar a compor seu personagem.














Quando a Ciranda de Livros passar, não esqueça de um livro pegar.









Você que é morador da Comunidade, ou é responsável de algum aluno, ou é nosso ex-aluno e está querendo ler um livro...
Tem o Projeto Leva e Traz.
Se seu caso é uma pesquisa...
Sem problemas.
Nós podemos lhe ajudar.

sábado, 28 de novembro de 2009

POINT DE LEITURA


Hora do Recreio!!!

Point de Leitura

O Grêmio desce com um carrinho cheio de livros...






A criançada começa a chegar, não deixando nem terminar a arrumação.
Querem escolher um livro antes do outro coleguinha.








Calma, gente!

Tem livro pra todo mundo.









Recreio tranquilo.
Sem violência.





Como seria sua vida...
sem livros?
sem conhecimento?
sem alunos?
sem escola?

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Luz, cores e sombras


Na hora de fazer experiência, a Turma 1101, sob o comando da Tia Alina, desde agosto de 2009, dividida em grupos, escolhe seus monitores.

Cada monitor dos grupos: Idade da Pedra, Idade Antiga, Idade Média, Idade Moderna e Idade Contemporânea, são os responsáveis por pegar e guardar o material no armário azul.




Você sabia que...
na Idade da Pedra a luz era natural?
o sol é uma estrela?
que a luz elétrica foi inventada na Idade Contemporânea?









Será que tem sombras à noite?

Desenhando as sombras dos colegas.












Hora de guardar o material.
Os monitores em fila, por ordem das Idades Históricas.




"Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol." - Pablo Picasso

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Hora do Conto


Diz o velho ditado:
- "Quem conta um conto, aumenta um ponto."
E quando a história é boa e bem contada, aumenta a vontade ler na criançada.
Todos os anos, no mês de abril, a Professora da Sala de Leitura, Cristina Pego, realiza a Hora do Conto, em homenagem ao Dia Mundial do Livro e ao aniversário de Monteiro Lobato.





E como surgiu a contação de histórias?

Isso já vem de longe!
Você sabia que os índios, os primeiros habitantes do Brasil, gostavam de ouvir histórias...





Nossa...
Que silêncio!
Isso é bom demais!
Não para, não, Tia Cristina!
Conta mais.






Até o esqueleto Zezinho veio participar.

Quem vai puxar a vassoura da Bruxa?
Nessa, até eu quero entrar.




E vem mais uma, mais duas, mais...
Eu quero mais, eu quero mais!
Isso vai deixar saudade!








O Grêmio, sempre atuante, é ajudante de palco em todos os eventos.





video
Como é bom voar nas asas da imaginação!
E alimentar o corpo, a mente e o coração!
Assista ao vídeo e compartilhe conosco da nossa alegria.
Seja você também um de nós!

Como seria sua vida...
sem livros?
sem conhecimento?
sem alunos?
sem escola?